ARTIGOS

> RESUMO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS E TEXTOS SOBRE NUTRIÇÃO
< voltar
Jejum Intermitente 06-abr-2018

Apesar de ser um tema que de fato vai na contramão da essência da nutrição (principalmente a esportiva) posto hoje um breve texto sobre o Jejum Intermitente (JI) pois curiosamente este foi o tema escolhido pela votação que criei no Stories na última semana.

A estratégia nutricional de se realizar um JI tem sido pratica comum entre pessoas sedentárias e praticantes de atividades físicas. Analisando o JI no seu fundamento básico ao que se propõe, seria uma estratégia simples, e sim, bem eficiente para o controle e redução de peso pelo simples fato de promover uma importante restrição calórica e um balanço calórico negativo.

Alguns estudos demonstram que o JI melhora alguns parâmetros inflamatórios do sangue assim como níveis de glicemia/insulina, inclusive em diabéticos. Em ratos, o JI melhora a termogênese e vascularização do tecido adiposo. Em contrapartida, fisiculturistas treinando 1 mês sob JI não tiveram alteração da composição corporal quando comparados ao grupo controle. São muitos estudos disponíveis na literatura, porém com metodologias e resultados muito discrepantes.

Já na pratica clinica não vejo o JI ser a solução para o emagrecimento em 99,9% dos casos. Baixa de disposição, irritabilidade, stress, sono excessivo, picos de fome a noite, vontade aumentada de comer doces são alguns dos relatos que ouvimos dos praticantes dessa nobre estratégia.

Fazer JI no intuito de melhorar parâmetros inflamatórios acaba não sendo a melhor estratégia pois certamente, mais cedo ou mais tarde, irá suspender o JI e se inflamar novamente. Neste caso não será a sua alimentação que está inflamatória?

Pergunto: E se o JI não funcionar? Qual será a estratégia alimentar mais eficaz do que não comer?

E a prática de JI pelas pessoas praticantes de atividades físicas e atletas (musculação, corrida, ciclismo, etc)? Um tiro no pé!! Considerando o fato que os principais objetivos da nutrição de um atleta são supri-lo energeticamente e propicia-lo uma recuperação muscular perfeita a privação de nutrientes traria efeitos trágicos.

Enfim, estratégias alimentares cheias de promessas existirão sempre, mas com certeza uma boa alimentação, sem vícios e aliada à pratica de atividades físicas sairão na frente, sempre.

 

Referencias:

*Effects of intermittent fasting on health markers in those with type 2 diabetes: A pilot study. World J Diabetes. 2017 Apr 15;8(4):154-164. doi: 10.4239/wjd.v8.i4.154.

*Effect of fed- versus fasted state resistance training during Ramadan on body composition and selected metabolic parameters in bodybuilders. J Int Soc Sports Nutr. 2013 Apr 25;10(1):23. doi: 10.1186/1550-2783-10-23.

*Intermittent fasting combined with resistance training: effects on body composition, muscular performance, and dietary intake. From The Twelfth International Society of Sports Nutrition (ISSN) Conference and Expo Austin, TX, USA. 11-13 June 2015

*Intermittent fasting promotes adipose thermogenesis and metabolic homeostasis via VEGF-mediated alternative activation of macrophage. Cell Research (2017) 27:1309-1326.

Jejum Intermitente
Fonte: